É o Espiritismo Cristão? 

Américo Domingos Nunes Filho

 
    Embora alguns irmãos espíritas pensem o contrário, podemos afirmar, com segurança, baseado em Kardec, que a Doutrina Espírita é essencialmente cristã.

  Por que, então, a negação por parte de alguns companheiros de ideal? Será que desconhecem a Codificação Kardeciana?

  Lembramos, com detalhes, de reunião mediúnica, onde fomos incumbidos da tarefa de doutrinar certa entidade que se dizia incrédula, descrente da Divindade, fechada à compreensão da presença do Criador, como artífice maior da Vida, o nosso Excelso Pai, amoroso e justo para todo o sempre.

  Ficamos algumas horas em debate e, após o encerramento do assunto, sem termos notado qualquer mudança de opinião por parte do irmão ateu, ele, apresentando-se momentaneamente inseguro, declara, altíssimo que, se tudo o que tínhamos dito era realidade, pediria, então, reencarnação em lar espírita.

  Ao mesmo tempo, invigilantes, pensamos: "Mais um 'herege' dentro do Movimento do Consolador prometido por Jesus; mais uma voz a discordar do aspecto religioso da Doutrina dos Espíritos; mais um irmão eivado com o ranço materialista da negação do Cristo e do Seu Evangelho redentor; mais um apto somente para o aspecto científico, em detrimento das outras duas escoras do tripé:  a filosófica e a religiosa.

    Sabemos que Jesus disse que, em Sua época, não poderia ministrar outras preciosas lições, desde que os homens ainda não estavam habilitados ao seu entendimento. Devido ao atraso evolutivo, não se encontravam preparados para granjear ensinos mais profundos.

O importante é que o Mestre nos deixou uma esperança: mandaria o Espírito de Verdade, que relembraria as Suas valiosas informações e traria outras ainda mais completas e sólidas, de melhor entendi­mento. (João 14:26)

    Esse Consolador vem complementar o Cristianismo do Cristo, não deixando mais órfã a Humanidade, aprisionada nas teias do Cristianismo dos homens, onde a essência puríssima do ensino de Jesus foi maculada e adulterada por mãos inescrupulosas, nas bolorentas dependências clericais.

  O Espiritismo não surgiu somente para reviver a Doutrina Cristã dos tempos primevos, ainda não corrompida pelo poder temporal ligado ao sacerdócio organizado. A crença espírita vai mais longe: completa o ensino do Mestre através da gloriosa presença do Espírito de Verdade entre nós, ministrando a Kardec, por diversos médiuns, lições que podem, agora, ser suportadas (João 16:12), devido ao progresso científico hodierno.

    O Mestre de Lyon afirma que o Espiritismo é a doutrina do Cristo de acordo com o progresso das luzes atuais ("A Gênese", edição FEB, pág. 324).

    Através da Codificação Espírita, o Cristianismo sofre um processo de libertação, não mais estagnado no tempo e no espaço, porquanto disse o Mestre que, através do Espírito de Verdade, falaria aberta­mente sobre o Pai (João 16:25), guiandonos a toda a verdade (João 16:13).

     Léon Denis relata que: "depois de séculos de silêncio, o mundo invisível se descerra; ilumina-se e agita-se até as suas maiores profundezas. "As legiões do Cristo e o próprio Cristo estão em atividade. SOOU A HORA DA NOVA DISPENSAÇÃO" ("Cristianismo e Espiritismo", ed. FEB, pág. 260).

    O Apocalipse relata a predição de uma nova era em que as boas novas seriam proclamadas pela pregação do evangelho eterno (Apocalipse 14:6). Nós, espíritas, já estamos vislumbrando a alvorada dessa afortunada época, porquanto, através de nossos próprios passos, atingiremos essa meta.

    Nós, seguidores de Jesus e de Kardec, fomos constituídos "ministros de um novo testamento, não da letra que mata, mas do espírito que vivifica" (2 Coríntios 3:6). A partir da disseminação desse "Evangelho Eterno", as leis de Deus não serão apenas conhecidas, mas vivenciadas no coração dos homens (Jeremias 31:33).

    Então, estaremos diante da razão amalgamada com a fé, o conhecimento científico dando sustento à religião, não mais uma crença alicerçada em fundamentos míticos ou místicos e, sim, o verdadeiro "Religare", a profunda comunhão com Deus, sem hierarquias e sem dogmatismos, conforme preconizou o Mestre, falando à mulher samaritana, junto à fonte de Jacó:

    "Deus é espírito; e importa que O adorem em espírito e em verdade" (João 4:24). Como é importante, querido leitor, o conhecimento das duas revelações divinas à Humanidade que precederam o advento da Doutrina Espírita!

    Allan Kardec, em "A Gênese", com muita propriedade e servindo como reflexão para todos os seus adeptos, diz o seguinte: "A Bíblia guarda grandes e belas coisas. A alegoria ocupa ali considerável espaço, ocultando sob o véu sublimes verdades..." (pág. 87, Ed. FEB) Na mesma obra, o Mestre francês nos ensina e tenta esclarecer alhures: "O Espiritismo, longe de negar ou destruir o Evangelho, vem, ao contrário, confirmar, explicar e desenvolver, pelas leis da Natureza que revela, tudo quanto o Cris­to disse e fez; elucida os pontos obscuros do ensino cristão, de tal sorte que aqueles para quem eram ininteligíveis certas partes do Evangelho, ou pareci­am inadmissíveis, as compreendem e admitem sem dificuldade, com o auxílio desta doutrina; vêem melhor o seu alcance e podem distinguir entre a realidade e a alegoria; o Cristo lhes parece maior; já não é simplesmente um filósofo, é UM MESSIAS DIVINO" (Retirado do Cap. I, n°41).

    É O ESPIRITISMO CRISTÃO? Inobstante o que já trouxemos até aqui de subsídios favoráveis à tese de ser a Doutrina dos Espíritos uma crença cristã, transcrevemos, agora, mais alguns ensinos comprobatórios, Kardeciana:

1 - "Jesus é o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem para lhe servir de guia e de modelo". (Espíritos Superiores, "O Livro dos Espíritos", questão 625, pág. 308, FEB);

2 - "Estamos incumbidos de preparar o reino do bem que Jesus anunciou" (Espíritos Superiores, "O Livro dos Espíritos", questão 627, pág. 309, FEB);

3 - "Todas as verdades se encontram no Cristianismo, os erros que nele se enraizaram são de origem humana... ("O Espírito de Verdade" "O Evangelho Segundo o Espiritismo", cap. VI, n° 5, pág. 99, IDE);

4 - Aproxima-se a hora em que te será necessário apresentar o Espiritismo qual ele é "mostrando a todos onde se encontra a verdadeira doutrina ensina­da pelo Cristo". Aproxima-se a hora em que, à face do céu e da Terra, terás de proclamar que "o Espiritismo é a única tradição verdadeiramente cristã" e a única instituição verdadeiramente divina e humana". (Espíritos Superiores a Allan Kardec, "Obras Póstumas", pág. 308, FEB);

5 - "O Espiritismo, partindo das próprias palavras do Cristo, é consequência direta da sua doutrina" (Kardec, "A Gênese", cap. I, n" 30, pág. 28, FEB);

6 - "O Espiritismo é obra do Cris­to que o preside..." Kardec, "O Evangelho Segundo o Espiritismo", pág. 36, IDE);

7 - "O ensino dos Espíritos é eminentemente cristão" (Kardec, comentário da questão 222 de "O Livro dos Espíritos", pág. 152, FEB:

8 - "O verdadeiro espírita como o verdadeiro cristão são a mesma coisa" (Kardec, "O Evangelho Segundo o Espiritismo", pág. 223, IDE);

9 - "O Espiritismo vem realizar no tempo certo as promessas do Cristo" (Kardec, "O Evangelho Segundo o Espiritismo", cap. XXIII, n° 17, pág. 281, IDE);

10 - Não poderíamos deixar de veicular a afirmação de Kardec, retirada de "O Livro dos Médiuns": "A bandeira que desfraldamos, bem alto é a do ESPIRITISMO CRISTÃO e humanitário..." , pág. 434, ED. FEB;

11 - Para finalizar, esta obra-prima que o Codificador não propagara por ser um Espírito Superior já destituído das paixões inferiores, mas que foi publicada após a sua desencarnação: "Conta conosco e conta sobretudo com a grande alma do Mestre de todos nós, que TE PROTEGE DE MODO MUITO PARTICULAR      

(Os grifos são nossos - "Obras Póstumas", pág. 308, FEB).    

(Artigo reproduzido do site da ADE-RJ com autorização do autor)